A Participação Social importa na Qualidade da Gestão Pública? Um Estudo sobre a Efetividade da Gestão Pública dos Municípios da Região Metropolitana de Salvador-Bahia

  • Magno Oliveira Ramos Universidade Federal da Bahia
  • Maria Valesca Damasio de Carvalho Silva Universidade Federal da Bahia
  • Anderson Jose Freitas de Cerqueira Universidade Estácio de Sá da Bahia
  • Kaline Ferreira Froes Queiroz Universidade Federal da Bahia
Palavras-chave: Índice de Efetividade da Gestão Municipal. Qualidade da Gestão Pública. Conselhos Municipais. Participação Social

Resumo

A pesquisa objetiva verificar se a qualidade da gestão pública, medida através do Índice de Efetividade da Gestão Municipal (IEGM), pode estar relacionada com a participação social medida a partir do quantum de Conselhos Gestores de Saúde e de Educação dos municípios da Região Metropolitana de Salvador, no período de 2015 e 2016. A amostra foi formada pelos 12 municípios da RMS. O IEGM é ferramenta útil para os Tribunais de Contas, para as equipes de fiscalização e para o próprio gestor. A pesquisa é descritiva, exploratória e quantitativa. Os resultados indicaram que o quantitativo de reuniões dos conselhos municipais de saúde (i-Saúde) e educação (i-Educação) não influencia o IEGM. Mas a quantidade de reuniões do conselho de saúde aponta capacidade de influenciar de forma positiva o índice específico da área de saúde. Os resultados apontaram que a efetividade da gestão e o fomento dos conselhos gestores independem do porte do município.

Referências

ALA-HARJA, Marjukka; HELGASON, Sigurdur. Em direção às melhores práticas de avaliação. Revista do Serviço Público, Brasília, v. 51, n. 4, p. 5-59, out./dez. 2000.
ARENDT, H. 1973. Crises da república. São Paulo, Perspectiva, 205p.
ARRETCHE, Marta. Dossiê agenda de pesquisa em políticas públicas. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 18, n. 51, p. 7-9, fev. 2003.
AVRITZER, Leonardo. Instituições participativas e desenho institucional: algumas considerações sobre variação da participação no Brasil democrático. In: Revista OPINIÃO PÚBLICA, Campinas, vol.14, N.1, Junho 2008, p.43-64.
BAHIA. Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia. Índice de Efetividade da Gestão Municipal. Disponível em: < http://www.tcm.ba.gov.br:8080/iegm-infosite/publico/>. Acesso em: 11 ago. 2018.
BEVIR, Mark. Governance as theory, practice and dilemma. In: BEVIR, Mark (Ed.). The Sage handbook of governance. Londres: Sage Publications, 2011. Cap. 1, p. 1-16.
BRASIL. Constituição (1988). Constituição da RepúblicaFederativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988.
BRASIL. Instituto Rio Branco. Índice de Efetividade da Gestão Municipal (IEGM), 2015 e 2016. Disponível em: < http://iegm.irbcontas.org.br/>. Acessado em: 13/08/2018.
BRASIL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos. Orientações para elaboração do Plano Plurianual 2012- 2015. Brasília: MP, 2015. Disponível em: . Acessado em: 10/08/2018.
BRASIL. Tribunal de Contas do Estado de São Paulo – TCESP. Índice de Efetividade da Gestão Municipal (IEGM), 2018.
BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos. A sociedade estatal e a tecnoburocracia. São Paulo: Brasiliense, 1981.
COSTA, C. C. M.; FERREIRA, M. A. M.; BRAGA, M. J. ABRANTES, L. A. Factors
DANCEY, Christine & REIDY, John. (2006), Estatística Sem Matemática para Psicologia: Usando SPSS para Windows. Porto Alegre, Artmed.
FARAH, Marta F. S. A contribuição da administração pública para a constituição do campo de estudos de políticas públicas. A política pública como campo multidisciplinar. São Paulo: Unesp; Rio de Janeiro: Fiocruz, 2013, p. 91-126.
FARAH, Marta F. S. Análise de políticas públicas no Brasil: de uma prática não nomeada à institucionalização do “campo de públicas” Rev. Adm. Pública — Rio de Janeiro 50(6): 959-979, nov./dez. 2016.
FARIA, Carlos Aurélio Pimenta de. A política da avaliação de políticas públicas. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 20, n. 59, p. 97-109, out. 2005.
FREY, Klaus. Políticas públicas: um debate conceitual e reflexões referentes à prática da análise de políticas públicas no Brasil. Planejamento e Políticas Públicas, v. 21, p. 211-259, 2000.
GOHN, M. G. M. Councils as form of public administration. Revista de Ciências Sociais Unisinos, 42(1):5-11, jan/abr 2006. DISPONÍVEL IN: http://revistas.unisinos.br/index.php/ciencias_sociais/article/view/6008/3184.
INSTITUTO RUI BARBOSA. Anuário do IEGM Brasil 2016. Disponível em: http://iegm.irbcontas.org.br/base/anuario_2015.pdf. Acesso em:05 de fev/2019.
KOWARICK, L. Capitalismo e Marginalidade na América Latina. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1973.
LOUREIRO, Maria Rita. Os economistas no governo: gestão econômica e democracia. Rio de Janeiro: Editora Fundação Getulio Vargas, 1997.
PASSOS, G. O. AMORIM, A. C. A Construção do Índice de Efetividade da Gestão Municipal (Iegm).Rev. FSA, Teresina, v.15, n.6, art. 14, p. 241-259, nov./dez. 2018.
PETERS, B. G. American Public Policy. Chatham, N.J.: Chatham House. 1986.
PETERS, B. G. Institutional theory. In: BEVIR, Mark (Ed.). The Sage handbook of governance. Londres: Sage Publications, 2011. p. 78-90.
Regression Model. Revista de Administração Pública. Rio de Janeiro, v. 49, n. 5, p. 1319-1347. 2015.
Related to the Efficiency in the Public Resource Allocation in the Light of Quantile
RICHARDSON, Roberto Jarry et al. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3 ed. São Paulo: Atlas, 2012.
SÃO PAULO. Tribunal de Contas do Estado de São Paulo. Manual do Índice de efetividade da gestão municipal. São Paulo: TCE, [2014] Acesso em: 05.02.2019.
SINGER, P. e BRANDT, V. C. (orgs). São Paulo: O Povo em Movimento. Petrópolis: Editora Vozes, 1980.
SOUZA, Celina. Políticas públicas: uma revisão da literatura. Sociologias, v. 8, n. 16, p. 20-45, 2006.
VAITSMAN, Jeni; LOBATO, Lenaura; ANDRADE, Gabriela. Professionalisation of policy analysis in Brazil. In: VAITSMAN, Jeni; RIBEIRO, José M.; LOBATO, Lenaura (Ed.). Policy analysis in Brazil. Bristol: Policy Press at University of Bristol, 2013.
Publicado
2021-05-19
Como Citar
Oliveira Ramos, M., Damasio de Carvalho Silva, M. V., Freitas de Cerqueira, A. J., & Ferreira Froes Queiroz, K. (2021). A Participação Social importa na Qualidade da Gestão Pública? Um Estudo sobre a Efetividade da Gestão Pública dos Municípios da Região Metropolitana de Salvador-Bahia. CADERNOS DE FINANÇAS PÚBLICAS , 21(01). Recuperado de https://publicacoes.tesouro.gov.br/index.php/cadernos/article/view/137