Avaliação ex-post das consequências socioeconômicas do Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional

  • Artur Henrique da Silva Santos Universidade de Brasília - UNB
Palavras-chave: Qualidade do gasto público; Projeto de Integração do Rio São Francisco; Avaliação ex-post de políticas públicas; Avaliação de impacto

Resumo

O presente trabalho avalia ex-post as consequências econômicas e sociais geradas pelo efeito do aumento da oferta hídrica criada pelo Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional – PISF – sobre os municípios beneficiários desde 2017. O estudo encontra evidências de que o PISF não aumentou a cobertura domiciliar de fornecimento de água, mas aumentou a frequência desse fornecimento, em termos de dias. Entre os resultados positivos do PISF, há aumento na produção da pecuária, acréscimo na extensão de áreas plantadas utilizadas na produção agrícola, e redução de mortes por decorrência da diarreia. Entre os resultados negativos do PISF, há redução dos salários formais e da empregabilidade nas regiões beneficiadas pela política.

Referências

Brasil (2018). Avaliação de Políticas Públicas: Guia Prático de Análise Ex Post. Brasília. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – Ipea. Vol 2.

Brasil, A. (2010). Atlas de abastecimento urbano de água: panorama nacional. Agência Nacional de Águas, Engecorps/Cobrape. Vol 1.

Castro, César (2010). Transposição do rio São Francisco: Análise de oportunidade do projeto. Texto para Discussão.

Castro, César (2011). Impactos do projeto de transposição do Rio São Francisco na agricultura irrigada no nordeste setentrional. Texto para Discussão.

Empinotti, V. L., W. C. Gontijo, e V. E. de Oliveira (2018). Federalism, water, and (de) centralization in brazil: the case of the São Francisco River water diversion. Regional Environmental Change 18 (6), 1655-1666.

ENGECORPS e HARZA (2000). R32 – Relatório Síntese de Viabilidade Técnico-Econômica e Ambiental. Relatório Técnico.

Epanechnikov, V. A. (1969). Non-parametric estimation of a multivariate probability density. Theory of Probability & Its Applications 14 (1), 153-158.

Farias, José A. M., Elano L. L. Joca, Felipe F. V. de Araújo, Pedro H. A. Medeiros, e Pedro A. Molinas (2012). Sinergia hídrica em sistemas integrados de reservatório: estudos de casos relacionados com a transposição das águas do rio São Francisco. Recife (PE): Acquatool Consultoria, 1-18.

Foguel, M. N. (2012). Diferenças em Diferenças. In Avaliação econômica de projetos sociais, organizado por Naércio Menezes Filho. São Paulo: Dinâmica Gráfica e Editora, 2012. Cap. 4. p. 69-83.

Guimarães, B. S. (2016). Transposição do Rio São Francisco: análise da efetividade do projeto. Monografia de graduação, Universidade Federal da Paraíba.

Guimarães Jr, J. A. (2016). Reforma hídrica do Nordeste como alternativa à transposição do rio São Francisco. Cadernos do CEAS: Revista crítica de humanidades (227), 80-88.

Hardin, G. (1968). The tragedy of the commons. Science 162 (3859),1243-1248.

Neto, F. V. A. S. e P. C. G. Vianna (2016). Análise espacial das obras do Projeto de Integração do Rio São Francisco-PISF (Eixo Leste) no Estado da Paraíba. Geo UERJ (28), 219-241.

Pereira Jr, J. S. (2005). Projeto de Transposição de Água do Rio São Francisco. Relatório Técnico.

Rosenbaum, P. R. e D. B. Rubin (1983). The central role of the propensity score in observational studies for causal effects. Biometrika 70 (1), 41-55.

TCU, Tribunal de Contas da União (2020). Relatório de Levantamento da Infraestrutura Hídrica do Projeto de Transposição do Rio São Francisco. Rel. Ministro João Augusto Ribeiro Nardes. Relatório Técnico.
Publicado
2021-04-13
Como Citar
da Silva Santos, A. H. (2021). Avaliação ex-post das consequências socioeconômicas do Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional. CADERNOS DE FINANÇAS PÚBLICAS , 21(1). Recuperado de https://publicacoes.tesouro.gov.br/index.php/cadernos/article/view/128